Descarte Correto

O Brasil é o campeão em geração de lixo eletrônico. Anualmente, são mais de 1 milhão de toneladas de Resíduos de Equipamentos Eletro-Eletrônicos

(REEE), classificação que inclui computadores, telefones celulares, eletrônicos e eletrodomésticos, o que corresponde a cerca de meio quilo por habitante. Desse total, menos de 2% são reciclados.

Alguns dos materiais encontrados nos REEE são metais pesados como alumínio, arsênio, cádmio, bário, cobre, chumbo, mercúrio, cromo, entre outros. Todos esses elementos são potencialmente tóxicos e podem trazer riscos de contaminação do meio ambiente e da população. Com a implantação definitiva da Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS) em 2014, fabricantes, distribuidores, varejistas, usuários e consumidores têm a responsabilidade compartilhada pela coleta e destinação ambientalmente correta dos resíduos sólidos.

Parceria e engajamento

Sem um sistema estruturado que receba todo esse descarte, grande parte dele vai parar no mercado informal – o que aumenta dos riscos de contaminação ambiental.

Para garantir uma destinação adequada desse tipo de equipamento, a Even desde 2015 conta com a parceria da Recicladora Urbana, empresa especializada na destinação final ambientalmente adequada das máquinas.

No ano passado, a Even realizou uma campanha nos escritórios de São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro para conscientizar os colaboradores e aumentar a arrecadação. Além dos computadores da empresa, a Recicladora Urbana recolheu itens descartados pelos colaboradores – o que incluiu também controles remotos, impressoras, cabos, câmeras fotográficas, entre outros. Somando os equipamentos descartados pela Even e pelos colaboradores, foram quase três toneladas de materiais. “Com a campanha, reforçamos com os colaboradores a importância de fazer o descarte correto, para que eles também se tornem multiplicadores de comportamentos sustentáveis”, afirma Flavia Lafraia, gerente de Sustentabilidade da Even.

Em 2016, a parceria continua. Neste mês, foram entregues mais 1,35 toneladas de lixo eletrônico gerado pela empresa para descarte.

Cadeia positiva

Além de assegurar o descarte correto dos equipamentos, a Recicladora Urbana repassa parte dos recursos obtidos para projetos sociais voltados para a educação e inclusão digital. Esse trabalho é feito por meio de uma parceria com o CDI, organização social que usa a tecnologia para transformação social, atua no  empoderamento das comunidades e estimula o empreendedorismo, a educação e a cidadania. Além do aporte financeiro, a Recicladora Urbana realiza triagens e caso seja possível, reaproveita equipamentos em bom estado para que sejam utilizados nos projetos do CDI.

A Rede CDI está presente em 15 países no mundo (Brasil, Chile, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, Inglaterra, México, Portugal, Venezuela, País de Gales, Irlanda, Escócia, Polônia, Romênia e Letônia) e impactou até hoje mais de 1,64 milhão de pessoas.

Fonte: Centro de Descarte de Reúso de Resíduos de Informática (CEDIR)